No mês de novembro é a vez da terceira farmacêutica que deixa a Argentina durante a quarentena. A primeira foi a Baxter, seguida pela Pierre Fabre e, agora, a J&J Medical fecha seus negócios de ortopedia. Seus produtos, que operam com a marca DePuy Synthes ficarão em mãos de distribuidores locais.

A empresa da América do Norte J&J continua desdobrando seu setor de dispositivos médicos (Medical Devices). E, nesta quarentena estendida, a DePuy Synthes, seu negócio focado em ortopedia será a próxima.

Segundo pôde saber a Pharmabiz, a multinacional decidiu pôr um ponto final à gestão direta desta operação na Argentina. Assim, como aconteceu com a revisão estratégica que fizeram a francesa Pierre Fabre e a norte-americana Baxter ao deixar o país, a J&J cederá a representação dos seus produtos de ortopedia distribuidores locais. Ver artigo.

Primeiro deixou no caminho os stents e cateteres, depois abandonou as bombas de insulina e, mais recentemente, os medidores de glicose. Os últimos da lista em deixar a companhia foram os dispositivos para esterilização cirúrgica. Na Argentina, apenas manterá sob seu controle os bisturis e dispositivos para suturas.

Dessa forma, e de acordo com informações não oficiais por nós obtidas, neste momento, a empresa está negociando contra o relógio um pacote de indenizações para cerca de 50 funcionários. Eles já foram notificados por meio da plataforma Zoom, em função do contexto de pandemia e do trabalho remoto.

A companhia terá que responder à legislação em vigor imposta pelo decreto 528/2020 que estabelece a dupla indenização e que em junho foi estendido por 180 dias. Ver decreto.

Nesta última etapa, a unidade estava liderada comercialmente por Cristian Kucharski, quem foi relocado dentro da J&J Medical em uma área focada em canais indiretos. Enquanto Raphael Künstle, quem era gerente da DePuy já mudou para outro mercado.

No início de 2013, a J&J deu o pontapé inicial do seu processo de desinvestimento quando fez o anúncio de que começaria uma revisão estratégica do seu negócio OCD – Ortho-Clinical Diagnosis –, focado em dispositivos para monitoramento e análise de sangue. Um ano depois, o negócio foi vendido ao fundo The Carlyle Group por u$s 4,5 bilhõesVer comunicado de imprensa.

Os desinvestimentos continuaram em 2015, quando a multinacional cedeu a Cordis, centrada em stents e cateteres, à Cardinal Health por u$s 1,944 bilhões. E, em 2017, quando fechou sua unidade de bombas de insulina Animas Corporation e selecionou a irlandesa Medtronic para torna-la sua parceira. Ver comunicado de imprensaVer artigo.

Mais tarde, em 2018, vendeu a LifeScan, sua empresa de medidores de glicose, ao fundo de investimento privado Platinum Equity por u$s 2,1 bilhões. Na Argentina, ela foi licenciada em março de 2020 à nacional Sidus, propriedade da família ArgüellesVer artigoVer artigo.

Por sua vez, em abril de 2019, a J&J transferiu à Fortive Corporation o negócio de Produtos de Esterilização Avançados (ASP) de sua subsidiária Ethicon, que foi avaliado em u$s 2,7 bilhões. De acordo com seu último relatório semestral de resultados, seu negócio de dispositivos médicos foi o menos auspicioso em termos de desempenho. Sua receita teve uma queda de -19,8% para u$s 10,22 bilhõesVer comunicado de imprensaVer artigo resultados.

Dejar respuesta

Escriba su comentario
Ingrese su nombre